Museus: casas vivas do quilt

Para nós, que moramos num país que não tem uma longa tradição no quilt, um museu parece fora de propósito. Mas em países como os Estados Unidos, eles proliferam. Mas não pense que eles são lugares amontoados de peças velhas empoeiradas cheias de traças. Eles são muito mais. São locais de difusão, inovação e criação; não um lugar parado no tempo, mas uma instituição cultural que mantém viva uma arte ou cultura, em conexão constante com o presente. Ou seja, não são lugares para se ir uma vez e depois não voltar mais. São locais de encontro e de interação.

Além disso, no caso do Patchwork, os museus unem as colchas, peças e técnicas com as obras de arte feitas hoje em dia, em painéis, em grandes e fabulosas exposições.

Por isso vale muito a pena conhecê-los. Para quem não pode viajar todos os anos para o exterior, a solução é interagir com os sites dos museus, e torcer para um dia termos um destes por aqui, ou aproveitar sua tão sonhada viagem para os Estados Unidos ou Europa e visitar o maior número possível destes museus.

Vou fazer uma série de posts comentando alguns destes sites, destacando as ferramentas e conteúdos mais interativos e curiosos.

NQM_exposition

%d blogueiros gostam disto: